segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Clamor pelo sangue de Jesus

O clamor pelo sangue de Jesus é praticado diariamente na Igreja Cristã Maranata e é utilizado, necessariamente, antes das orações dirigidas a Deus no início de suas reuniões e em todas as orações em que se pretenda “consultar a Deus” (http://migre.me/7CsEn). Neste caso, se uma oração não for precedida pela expressão “clamamos pelo sangue de Jesus”, ou equivalente, entende-se que a oração não pode ser recebida por Deus e, conseqüentemente, a consulta bíblica é considerada inválida.

Mesmo antes de estudarmos os fundamentos bíblicos sobre o assunto, já podemos observar que, se admitirmos esse ensinamento e prática da ICM como uma doutrina bíblica, teremos que concluir que todas as orações da igreja (corpo de Cristo - http://bit.ly/xr8CzQ) desde o seu nascedouro estavam, em parte, equivocadas.

Partindo dessa lógica, a Assembléia de Deus, que é conhecida como uma igreja dada à oração, durante os seus 100 anos de existência não foi (e ainda não é) ouvida por Deus quando seus membros se reúnem e fazem suas orações sem clamar pelo sangue de Jesus. De igual modo, podemos dizer que a Igreja Batista e todas as outras denominações evangélicas também não são ouvidas por Deus.

Assim, por esse raciocínio inicial, qualquer leigo pode, desde logo, pensar: a igreja e todas as suas denominações ficaram sem acessar Deus ao longo de 2.000 anos até o momento em que surgiu a ICM há, aproximadamente, 40 anos? Isso é razoável? Isso faz sentido, espiritualmente falando?Evidentemente, não! Chega a ser difícil de compreender como se pode afirmar que um grupo de pessoas só alcançará remissão de pecados e acessará a presença de Deus (comunhão) se apresentar em suas orações um literal “clamamos pelo sangue de Jesus”.

O problema não está em se repetir essa expressão diariamente, mas em fazer as pessoas acreditarem que somente assim alguém pode ser perdoado e alcançar comunhão com Deus. Qualquer crente de outra denominação sabe que isso não é verdade, pois independentemente do formal “clamamos pelo sangue de Jesus”, sempre que há arrependimento de pecados, confissão e pedido de perdão o “sangue de Jesus” (sacrifício) atua automaticamente, pois Deus é fiel para perdoar os pecados e purificar o homem de toda injustiça, levando em conta o sacrifício de seu filho e não o ato litúrgico do clamor. É isso que veremos neste estudo!